0 0,00

Quais são os efeitos colaterais do CBD?

Mergulhamos no mundo dos efeitos adversos do CBD. Explicamos as nuances de cada efeito e como ele interage com cada pessoa. Analisamos os formatos e os processos que eles afetam.

Quais são os efeitos colaterais do CBD?
Tardarás en leer este post tan solo 13 min

O CBD é um composto natural da planta Cannabis Sativa L que oferece diversas propriedades terapêuticas, atestadas pela Organização Mundial da Saúde (OMS). (1) As suas propriedades antiinflamatórias, analgésicas, relaxantes, ansiolíticas e neuroprotetoras, entre outras, trouxeram o CBD, e outros canabinóides, para o primeiro plano como novas alternativas terapêuticas e medicinais, por seus baixos níveis de toxicidade em comparação com outras drogas e por não causarem dependência física ou psicológica.

Uma morte por overdose de Cannabis nunca foi documentada como uma causa direta do evento, e é esta circunstância que demonstra a baixa toxicidade dos canabinóides em geral”. Mariano Garcia de Palau, especialista cannabico e voz vocal do Observatório Espanhol de Cannabis Medicinal (2)

Nos últimos anos, a abertura ao estudo do Canabidiol tornou possível tratar doenças que vão desde insônia, enxaqueca, ansiedade e depressão até epilepsia e câncer. Também tem se mostrado uma alternativa para doenças inflamatórias, de difícil tratamento, como artrite, fibromialgia, síndrome do intestino irritável e mais situações crônicas caracterizadas por inflamação, dor e/ou limitação dos movimentos como traumas e doenças neurodegenerativas.

Efeitos colaterais do CBD

Em primeiro lugar, alguns esclarecimentos devem ser feitos:

  • Os estudos sobre o Canabidiol são relativamente recentes, portanto não existem muitos estudos sobre o seu uso a longo prazo.
  • Muitos dos estudos de toxicidade são realizados in vitro e in vivo, ou seja, em laboratório e em animais, portanto, os estudos em humanos são limitados.
  • Em quase todos os estudos é utilizado o CBD isolado em cristais de 99% de pureza, considerada uma substância muito segura pela OMS (1). Porém, existem muitos óleos de CBD com fórmula de “espectro total”, o que significa que a extração preserva em pequenas partes os demais componentes do cânhamo que, embora em concentração muito baixa, podem ter outros efeitos adversos.

No entanto, quase todos os estudos realizados e as evidências clínicas em humanos mostram que o CBD é uma substância muito segura se usada corretamente, com toxicidade muito baixa e efeitos colaterais muito limitados, mesmo em quantidades relativamente altas (até 1500 mg por dia). (3) (4)

Deve-se considerar também que alguns efeitos podem ser considerados adversos ou benéficos de acordo com a situação particular de cada pessoa e também com o horário do dia. Por exemplo, o efeito relaxante pode ser benéfico para uma pessoa que é hiperativa ou sofre de espasmos musculares ou insônia noturna, enquanto pode ser considerado adverso para aqueles que têm que ficar alertas e atentos, como aqueles que operam máquinas perigosas ou pessoas hipotensas ou deprimidas.

Os efeitos colaterais mais comuns são os seguintes:

  • Boca seca
  • Constipação
  • Mudanças no apetite
  • Náusea e/ou diarreia
  • Fadiga
  • Enjoo
  • Quedas de tensão

Em uma pesquisa realizada pelo Projeto CBD (Cultivating Wellness), 40% dos participantes notaram um ou mais efeitos adversos. Nas conclusões da pesquisa, os efeitos adversos são apresentados de forma moderada. Os mais típicos são boca seca (18% dos participantes), sonolência (12%), olhos secos e/ou vermelhos (5%) e aumento do apetite (5%).

Deve-se notar que praticamente todos os efeitos colaterais são temporários e limitados ao uso do CBD, portanto sua duração, embora dependa da via de administração utilizada, varia de 10 minutos a algumas horas.

Para saber mais sobre os diferentes formatos e respetivas durações, consulta o nosso artigo; “Qual é a melhor maneira de usar o CBD para ti?”

Efeitos no Sistema Digestivo

O CBD interage com os receptores canabinóides presentes na boca, e reduz temporariamente a produção de saliva, principalmente se for utilizado por via inalatória. A consequente boca seca é temporária e pode ser melhorada com ingestão de bebida ou rebuçados (2).

Devido ao uso da via de ingestão na maioria dos estudos em humanos, têm-se observado efeitos na secreção de suco gástrico e lentidão no esvaziamento, o que implica que alguns usuários que usam o CBD de forma contínua apresentam tendência à constipação (2) e a diminuição do apetite (5) (6).

Em alguns casos e sempre pela via de ingestão, podem ocorrer náuseas e/ou diarreia (6), embora muitas vezes seja devido a uma intolerância ao óleo carreador (óleo de cânhamo, coco…) ou à falta de pureza do extrato utilizado (resíduos de substâncias químicas), além da possível reação com outros medicamentos (7).

Em alguns casos e sempre pela via de ingestão, podem ocorrer náuseas e/ou diarreia (6), embora muitas vezes seja devido a uma intolerância ao óleo carreador (óleo de cânhamo, coco …) ou à falta de pureza do extrato utilizado (resíduos de substâncias químicas), além da possível reação com outros medicamentos (7).

Resumo: Os efeitos colaterais indesejados no sistema digestivo são muito raros e quase exclusivamente limitados à via de administração ingerida.

 

Pessoas que apresentam algum efeito colateral podem usar a forma inalatória (cujo único efeito colateral pode ser facilmente resolvido) ou melhor, a via sublingual realizada corretamente (60-90 segundos), e tentar cuspir o que resta na boca ao invés de ingerir.

Efeitos no fígado – interação com drogas

Se considerarmos a via de ingestão, o efeito no fígado é se calhar o mais estudado devido à sua importância na área médica.

Devido à sua absorção em nível hepático, o CBD interage com as enzimas metabolizadoras do grupo do Citocromo P450 (3) (4) (5), responsáveis ??pela absorção da maioria dos medicamentos (…). A consequência é uma alteração no metabolismo de algumas drogas e o aumento do seu nível no sangue (2), com possível aumento dos seus efeitos (6).

Em alguns casos e sempre pela via de ingestão, podem ocorrer náuseas e/ou diarreia (6), embora muitas vezes seja devido a uma intolerância ao óleo carreador (óleo de cânhamo, coco …) ou à falta de pureza do extrato utilizado (resíduos de substâncias químicas), além da possível reação com outros medicamentos (7).

Resumo: Os efeitos colaterais no fígado, embora não representem um problema em si, também se limitam à via de ingestão para pessoas que tomam alguns medicamentos que podem interagir. Portanto, no caso de tomar algum medicamento, é aconselhável consultar um especialista que possa monitorar se há alguma interação com medicamentos e agir de acordo, pois existem medicamentos que não podem ser usados ??junto com o CBD.

Alterações hematológicas e fisiológicas

Em alguns estudos, podem ser observadas alterações hematológicas, bioquímicas e fisiológicas que podem ter um impacto em todo o corpo, mas deve-se considerar que podem começar a ser consideradas adversas principalmente pelo uso de doses muito elevadas e pela via de ingestão (3) (4) (5) (6).

Resumo: Mudanças hematológicas e fisiológicas são os únicos efeitos colaterais que aparecem com o tempo após algumas ingestões contínuas e geralmente são positivas. Os indesejáveis ??efeitos colaterais observados em pesquisas, além de muito improváveis, ocorrem em animais cuja dosagem de CBD é muito elevada e pela via de ingestão.

As propriedades relaxantes e ansiolíticas do CBD devem-se principalmente ao seu efeito hipotensor. Embora esse efeito possa ser considerado benéfico e terapêutico em casos como ansiedade, insônia ou presença de contraturas musculares, em outros casos pode ser considerado adverso devido à sensação de fadiga e sonolência (5) (6), e pode causar enjoo devido a quedas de tensão (2). Por isso, as pessoas hipotensas ou que fazem uso de medicamentos para pressão arterial devem ter cuidados especiais, assim como aquelas que precisam manter um nível de alerta alto e constante ao operar máquinas perigosas.

Deve-se considerar também que as sensações de sonolência e sedação (5) são as que mais se potencializam nas interações com medicamentos, principalmente com depressores do Sistema Nervoso Central, o álcool incluído (6).

Resumo: Os efeitos hipotensivos e relaxantes representam, na verdade, as propriedades terapêuticas mais importantes do CBD, mas podem ser adversos em pessoas hipotensas ou que precisam prestar atenção constante em alguma atividade ou trabalho.

Portanto as pessoas que desejam limitar este efeito terão que usar uma dose menor, embora ao mesmo tempo o efeito terapêutico seja reduzido, portanto cada pessoa terá que equilibrar benefício/dano e decidir quanto reduzir a dosagem.

Efeitos colaterais do CBD por via de administração


USO SUBLINGUAL

O uso sublingual permite evitar a maioria dos efeitos colaterais, embora provoque alguma secura temporária na boca. É o formato mais recomendado para obter um efeito estável e contínuo. No entanto, a relativa dificuldade de absorção total das gotículas de óleo implica o monitoramento de possíveis efeitos relacionados à ingestão. Além disso, o uso sublingual também causa hipotensão e possível fadiga e sonolência.


USO INALADO

O uso inalado também evita a maioria dos efeitos adversos relacionados ao uso interno, embora possa causar boca seca temporária.

Em qualquer caso, ao ser o uso inalado aquele que permite obter um efeito imediato e máximo, certos cuidados devem ser tomados para as possíveis quedas de tensão ou ligeiro enjoo que podem ocorrer especialmente se for utilizado um material de alta concentração.

Além disso, a sensação de fadiga e sonolência pode ser acentuada especialmente nos primeiros 15-30 minutos após a ingestão.


USO INGERIDO

A grande maioria dos estudos utiliza o uso ingerido, e mostra como essa via de administração é a que apresenta maior risco de efeitos adversos, aliás tudo o que foi descrito. Além de ser o único que envolve uma possível interação com medicamentos, também envolve a absorção errática do próprio CBD, o que dificulta a obtenção de um efeito estável.


USO TÓPICO

O uso tópico não implica nenhum efeito colateral (além de possíveis reações alérgicas), e o seu efeito é limitado à área de aplicação.

Ao contrário dos produtos tópicos, os adesivos transdérmicos têm um efeito sistêmico e, portanto, possíveis efeitos adversos relacionados à queda da pressão arterial e à sensação de fadiga e sonolência, mas concordamos que um adesivo transdérmico não é o mesmo que usar um produto tópico como um creme, um bálsamo, etc.

Para saber mais sobre as diferentes vias de administração do CBD, dá uma olhada no nosso artigo: Qual o melhor formato para usar o CBD para ti?

Bibliografia

  1. CANNABIDIOL (CBD) Pre-Review Report. Expert Committee on Drug Dependence. Thirty-ninth Meeting. Geneva, 6-10 November. 2017
  2. Principales efectos secundarios del CBD. Mariano de García Palau. Fundación Canna
  3. Bergamaschi MM, Queiroz RH, Zuardi AW, Crippa JA. Safety and side effects of cannabidiol, a Cannabis sativa constituent. Curr Drug Saf. 2011 Sep 1;6(4):237-49. doi: 10.2174/157488611798280924. PMID: 22129319.
  4. Iffland K, Grotenhermen F. An Update on Safety and Side Effects of Cannabidiol: A Review of Clinical Data and Relevant Animal Studies. Cannabis Cannabinoid Res. 2017 Jun 1;2(1):139-154. doi: 10.1089/can.2016.0034. PMID: 28861514; PMCID: PMC5569602.
  5. Brown JD, Winterstein AG. Potential Adverse Drug Events and Drug-Drug Interactions with Medical and Consumer Cannabidiol (CBD) Use. J Clin Med. 2019;8(7):989. Published 2019 Jul 8. doi:10.3390/jcm8070989
  6. Huestis MA, Solimini R, Pichini S, Pacifici R, Carlier J, Busardò FP. Cannabidiol Adverse Effects and Toxicity. Curr Neuropharmacol. 2019;17(10):974-989. doi: 10.2174/1570159X17666190603171901.
  7. https://www.sps.nhs.uk/articles/cannabidiol-oil-potential-adverse-effects-and-drug-interactions/
  8. Urits I, Borchart M, Hasegawa M, Kochanski J, Orhurhu V, Viswanath O. An Update of Current Cannabis-Based Pharmaceuticals in Pain Medicine. Pain Ther. 2019 Jun;8(1):41-51. doi: 10.1007/s40122-019-0114-4
Tommaso Bruscolini (Autor)

Tommaso Bruscolini (Rimini, Italia) é um neuropsicólogo e fitoterapeuta que reside em Barcelona, onde exerce clínica privada desde 2014, tanto presencialmente como online, e se dedica a formular e produzir diferentes preparações com todo o tipo de plantas medicinais, além de fazer recomendações personalizadas.

SABER MÁS

ARTÍCULOS RELACIONADOS

Leave a Reply

Assine a nossa newsletter e receba 10% de desconto no seu primeiro pedido. Respeitamos a sua privacidade
SEU CARRINHO
Your cart is emptyReturn to Shop